TRINDADE E DIÁLOGO

IMG_20181023_111511841

Nos dias 23 e 24 de outubro de 2018 reuniram-se na PUC Javeriana, em Bogotá, Colômbia, 26 conferencistas de 8 países, além de 150 pessoas inscritas, para o Simpósio Ibero-americano Panikkar 100 anos. Panikkar escreveu mais de 70 livros e de 1000 artigos, foi um filósofo e teólogo que se abriu aos cruzamentos intra-religiosos das nossas existências sincretizadas pela globalização, bem como à possibilidade da vida religiosa em redes de famílias: faleceu em 2010, como religioso casado e com filhos adotados na sua Catalunha, onde nascera em 1918. Quando uma autoridade pediu para ele se definir, uma vez, saiu-se com esta: “sou padre católico da religião hindu”.

Raimon Panikkar é filho de mãe espanhola e de pai indiano. Doutorou-se em Filosofia, Ciências e Teologia. Ensinou em Bengalore, Roma e Harvard. Viveu na Índia, na Europa e na América. A obra de Panikkar (veja aqui o seu site) é claramente transdisciplinar e tem a ver com o pensamento complexo. Ele dedicou-se ao estudo comparado de religiões para reunir em seus escritos os aprendizados hindu e budista com o cristão e secular da sua vida de místico, profundamente aberto ao diálogo intercultural e inter-religioso. Sua percepção trinitária da realidade, constituída pelas dimensões do divino, do cósmico e do humano, é fundamentada nas descobertas da física sobre a matéria, bem como nas escrituras das várias tradições de fé.

Panikkar aponta para a espiritualidade, entre e além das religiões, como forma envolvente de compreensão da realidade. Ele desenvolve uma visão da Trindade, que recupera das várias tradições, como símbolo para uma vida mais consciente, em relação com o cosmos e com Deus, enquanto sua origem abissal. Tal pensamento pode ajudar nos desdobramentos e aplicações da lógica do Terceiro Incluído, que nós cultivamos por aqui, na produção de conhecimentos pelos estudos de religião e também na sua socialização para promoção do diálogo inter-religioso. Para Raimon, todas as religiosidades podem colaborar na religação do homem com o cosmos, conectando-os com sua mesma e profunda fonte criadora.

IMG_20181023_143842596
Rita Grassi, Gilbraz e Franci

Do Observatório das Religiões no Recife estiveram presentes, fazendo conferências e participando dos debates, o nosso coordenador, Gilbraz Aragão, e a professora Franci Ronsi, que fez iniciação científica e depois pós-doutorado em nosso grupo de estudo, tendo escrito uma tese sobre Panikkar e a mística do diálogo. Gilbraz, por seu turno, conheceu Panikkar em Marselha, quando sua orientadora, Maria Clara Bingemer, apresentou-o ao grande místico dizendo: “ele quer fazer com o Xangô do Recife o que você faz com as religiões orientais”. Panikkar, então, esboçou um largo sorriso e conversou por uma meia hora sempiterna sobre os desafios e possibilidades da práxis dialógica. Esse reencontro com “Panikkar”, agora, sedimenta as nossas amizades colombianas e a internacionalização da nossa pesquisa e militância em rede.

Recolhendo as conferências do Simpósio, foi lançado o livro Raimon Panikkar: Lecturas teológico-filosóficas a la luz de su pensamiento (Bogotá: Editorial Pontificia Universidad Javeriana, 2020), que inclui as palestras de Gilbraz e de Franci.

Veja trecho da palestra de Gilbraz por aqui.

Pra saber mais:

Observatório participa de projeto internacional

Mística e diálogo inter-religioso

2 comentários Adicione o seu

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *