MERTON E PANIKKAR: MÍSTICA E DIÁLOGO

1 - UNICAP GRUPO 28 AGO 216

 

Nestes dias 28 e 29 de agosto o Observatório das Religiões da UNICAP, em parceria com os programas de estudo das religiões da Universidade promoveu o seminário “O diálogo inter-religioso em Thomas Merton e em Raimon Panikkar: caminho para uma mística inter-religiosa”, com a Profa. Dra. Francilaide Ronsi, teóloga e pós-doutoranda em ciências da religião na Católica de Pernambuco. A reflexão partiu da crescente procura por experiências religiosas e caminhos espirituais, contrapondo o crescimento secular imposto pelo avanço da chamada pós-modernidade. E buscou então discernir essa efervescência religiosa pluralista, com base na tradição cristã e especialmente a partir das experiências de Thomas Merton e de Raimon Panikkar com as religiões orientais, apresentando um caminho para uma mística inter-religiosa.

2 - UNICAP GRUPO 28 AGO 221A mística, atitude e exercício espiritual de respeito ao mistério da realidade, pode ajudar no diálogo entre tradições de fé, mas o diálogo inter-religioso também ajuda no aprofundamento místico do próprio caminho e identidade religiosa. A proposta da colega Franci, que também tem participado do nosso Grupo de Estudo nas quartas-feiras, é de que o diálogo entre religiões através do compartilhamento de experiências místicas não se resume a um passeio apressado, mas aponta o caminho transreligioso para quem leva a sério sua própria tradição de fé. Ela enfatiza a dimensão espiritual como o nível mais fecundo para a abertura entre culturas e a compreensão no diálogo inter-religioso, dando pistas para se recuperar o respeito ao mistério da vida e a experiência íntima da unidade com o divino que transparece na realidade, nas relações humanizantes.

Nessa busca, Franci recupera as contribuições de um monge que se lançou ao encontro dos outros pela mediação literária e pelos exercícios inter-religiosos de meditação, e de um intelectual que se abriu aos cruzamentos intra-religiosos das nossas modernas existências sincréticas e também à pós-moderna possibilidade da vida religiosa em redes de famílias. Merton e Panikkar, pioneiros buscadores do diálogo, lançaram-se no aprendizado solidário com a espiritualidade asiática, deixando-nos dicas para a reinterpretação da mensagem cristã através dos olhos dos outros. Morto em 1968, Merton foi um trapista gringo dado à poesia e ao ativismo social pacifista, bem como aos estudos de religião comparada. Panikkar extinguiu-se em 2010, como religioso casado e com filhos adotados na sua Catalunha, após se afastar da Opus Dei para dedicar-se aos estudos comparados de religiões (procurando reunir os aprendizados hindu e budista com o cristão e secular da sua vida).

Nossa região, que já é multicultural por formação histórica e acolhe sempre mais asiáticos, sobretudo chineses e até indianos, por causa da globalização comercial, quem sabe encontre nesses mestres uma inspiração para fortalecer e ampliar a caminhada de abertura dialogal do cristianismo.

.

Para saber mais:

Espiritualidade em novo tempo

Mística e diálogo

.

1 comentário Adicione o seu

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.