APOIO A PROJETOS DE LIBERDADE

O nosso Observatório Transdisciplinar das Religiões no Recife participa de diversas redes que animam a coexistência espiritual e o diálogo inter-religioso, através e em vista da promoção dos Direitos Humanos, e por isso desenvolve parcerias, entre outras, com a colombiana Red Latinoamericana y del Caribe por la Democracia (REDLAD) e a argentina Otros Cruces. Pois, estas organizações desenvolvem o projeto CreerEnPlural, cujo objetivo principal é fortalecer a capacidade da sociedade civil de promover a liberdade de religião, crença e consciência no Hemisfério Ocidental, bem como exigir que os governos cumpram as normas regionais e internacionais para proteger os direitos e apoiar a implementação da Resolução 2941 sobre liberdade religiosa da OEA.

Lembrando que a liberdade religiosa e de crença, ou de convicção, está presente desde os inícios dos Direitos Humanos e é geralmente assumida como condição inerente ao modelo de Estado liberal, dominante nas sociedades ocidentais modernas. A liberdade religiosa, que visa o respeito e reconhecimento da pluralidade de religiões, crenças, convicções e estilos de vida, é o direito fundamental de cada pessoa ou grupo a acreditar, celebrar liturgicamente e expressar eticamente sua religião ou crença (ou não crença, ou convicção filosófica, ou espiritualidade pós ou não religiosa também), bem como o direito a mudar de opinião a respeito de modo livre, com a garantia de que isso não prejudica outras dimensões de suas vidas.

Às vezes esse conceito é pervertido e apresentado como direito ao proselitismo por parte de Igrejas hegemônicas e para combater essa perversão é que existe, justamente, o projeto CreerEnPlural ou, em português, Acreditar no Plural. No âmbito desse projeto está sendo oferecido agora o programa intitulado “Aprender no Plural“, que quer oferecer formação e apoio a grupos de jovens de países estratégicos na América Latina, entre eles o Brasil, que desejem desenvolver ações de promoção da liberdade religiosa. Grupos de 2 a 4 jovens receberão treinamento, aconselhamento e finalmente competirão por fundos (2.500 dólares por grupo) para implementar pequenas propostas de ação que os ajudarão a fortalecer seu ativismo cultural, assim como avançar na promoção e defesa da liberdade de religião, crença e consciência no Continente.

O prazo para inscrição dos grupos foi estendido até 9 de setembro: os termos e requisitos do concurso estão disponíveis por aqui, o formulário para registro das propostas dos grupos está aqui, e o formato para apresentação dos projetos está aqui. Divulgamos a notícia com a maior satisfação e esperança de que muitos grupos de jovens da região se animem, através desse programa em parceria continental, a ensaiar projetos de intervenção educativa para promoção do respeito à diversidade religiosa e à liberdade de religião e crença ou convicão. Que tal criar um calendário inter-religioso inculturado no Recife, incluindo as festas dos terreiros afro-indígenas? Ou então organizar um seminário com os mais velhos de várias crenças para colher narrativas de fé e resiliência cultural e aprofundar a noção de transreligiosidade? Ou ainda, organizar um site com base em subsídios e debates em torno da relação ciência e fé, para ajudar a desmistificar a falsa contraposição política entre criação e evolução? Tá lançado o desafio!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *