JOGOS SAGRADOS

Neste 23 de junho o companheiro do nosso Observatório, Luca (Luís Carlos) de Lima Pacheco, defende, aqui pela internet, a sua tese de doutorado em Ciências da Religião na UNICAP, intitulada “O sagrado nos jogos digitais: arquétipos do sagrado no game Dragon Age Origins”. Para a arguição de temática paradoxal, refletida nas quase 240 páginas do seu texto sobre a espiritualidade transreligiosa que transparece nas tecnologias de diversão das novas (e velhas) gerações, foi composta uma super banca, com Newton Cabral, Breno Carvalho e Véronique Donard (UNICAP), Rita Voss (UFPE) e Moisés Sbardelotto (UNISINOS). Alguns dos colegas estão bem longe do Recife no momento, mas vão acessar a sessão direto das suas “naves interplanetárias”.

Orientando do professor Gilbraz, Luca é coordenador do Curso de Ciências da Religião – Licenciatura em Ensino Religioso na modalidade EaD, da Universidade Católica de Pernambuco, docente nas disciplinas Desenho Instrumental e Vetorial, Pintura Digital e Edição Digital no curso de Jogos Digitais da UNICAP, e na disciplina de Diálogos Interculturais e Diversidade Religiosa no curso de Ciências da Religião da Católica de Pernambuco. É membro da Comissão Própria de Avaliação da Universidade. Fez mestrado em Ciências da Religião pela UNICAP (2010) com uma investigação sobre subsídios audiovisuais usados por professores do Ensino Religioso nas escolas do Brasil. Possui especialização em Comunicação Social e Religiosa pela Université Catholique de Lyon (França, 1997), graduação em Teologia pela Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia (2006) e graduação em Programação Visual pela Universidade do Estado de Minas Gerais (1994). Atua também como Produtor Audiovisual da Assessoria de Comunicação da UNICAP. É membro do Grupo de Pesquisa “Espiritualidades, Pluralidade e Diálogo”, um pessoal que une o pó das infovias com a poeira dos livros, verdadeiros “mochileiros da galáxia”.

A tese de Luca parte da constatação de que existem ingredientes simbólicos que performam as narrativas dos jogos eletrônicos, para analisar então os componentes religiosos ou espirituais presentes nos operadores audiovisuais do designer dos games e como esses elementos, recorrentes especialmente nos jogos de MMORPG, despertam energias arquetípicas do sagrado no jogador. A pesquisa tomou o jogo Dragon Age Origins como estudo de caso, para imersão e cartografia da experiência religiosa nos jogos digitais, baseando-se na teoria dos arquétipos de Carl Jung, bem como no pensamento complexo e transdisciplinar, explorando a lógica da “terceira peça” no jogo com base no terceiro incluído de Nicolescu. A tese, portanto, no campo dos “games studies” em Ciências da Religião, procura revisar o conceito de “sagrado” nos videogames e propor uma criteriologia para o estudo do fenômeno religioso nos jogos digitais, apontando caminhos para um Ensino Religioso como aprendizagem crítica e transdisciplinar sobre as experiências espirituais da humanidade, aberto à complexidade da experiência religiosa na cultura digital. Uma viagem entre e além dos tempos e espaços sagrados!

Veja acima a defesa de Luca e por aqui a aprovação da sua tese.

Saiba mais:

Sagrado nos jogos

Sagrado e diálogo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.