O QUE TEM DE SAGRADO NESSES JOGOS?!

 

 

Dia desses o nosso Fórum discutiu se outras tecnologias geram novas espiritualidades, e Luca Pacheco foi um dos debatedores. Ele é membro do nosso Observatório e está desenvolvendo a pesquisa, em vista do seu doutoramento, “Brincando de Deus: o sagrado nos jogos digitais”. Luca estuda o fenômeno dos games na sociedade contemporânea, como oportunidade para o desenvolvimento da dimensão de transcendência do humano.

As novas tecnologias de comunicação e informação do início do terceiro milênio elevaram os jogos digitais à categoria de um dos mais importantes divulgadores dos grandes mitos da humanidade. Suas narrativas são extremamente elaboradas e em grande parte moldadas a partir de arquétipos do sagrado. O ato de jogar games eletrônicos, tão difundido contemporaneamente, eleva o jogador a um nível imaginário tal que ele experimenta uma profunda imersão na ambiência do jogo. Dessa forma lúdica ele vivencia experiências arquetípicas que remetem ao sagrado… Mas que sagrado?!

Luca esteve na USP, em São Paulo, de 8 a 10 de setembro, participando de evento promovido pela Sociedade Brasileira de Computação, sobre jogos digitais, onde apresentou e discutiu a sua pesquisa. O SBGames reúne pesquisadores, estudantes e empresários que tem os jogos eletrônicos como objeto de investigação e produto de desenvolvimento, reunindo anualmente cerca de mil participantes de diferentes regiões do Brasil e de outros países. Vejam o seu relato:

“Partipar do XV Simpósio Brasileiro de Jogos e Entretenimento Digital, SBGames 2016, o maior evento acadêmico da área de jogos digitais do Brasil, foi uma experiência que me enriqueceu muito. O contato com pesquisadores que estão empenhados no estudo dos games em diversos aspectos, como artes e design, computação, cultura e indústria abriu o meu horizonte de pesquisa para as principais metodologias de abordagem e para um leque de referenciais de conhecimento.

A recepção de meu artigo, apresentado na Trilha Cultura com o título “O sagrado nos videogames: uma introdução ao estudo da religião e jogos digitais”, surpreendeu-me por se tratar de um tema ainda pouco pesquisado nessa área. O Chair da Trilha Cultura, prof. Dr. João Mattar, ressaltou a importância da investigação sobre a relação religião e videogame e sua implicação na cultura e houve um grande interesse dos pesquisadores nos resultados deste trabalho.

Além desta rica troca de informações e conhecimento, o SBGames é o ambiente ideal para se atualizar sobre o que se está produzindo no Brasil e no mundo. Aconteceram Festival de Jogos, Mostra de Artes, Tutorias, Workshops e Conferências com nomes como David Wessman, o gamedesiner do jogo Indiana Jones e da série Star Wars X-Wing; Esteban Clua, especialista em Realidade Virtual e coordenador da UFF MediaLab na Universidade Federal Fluminense; e Alex Schwartz, fundador e CEO do estúdio de Realidade Virtual Owlchemy Labs e criador do título de lançamento do HTC Vive, o Job Simulator, criador do Oculus Touch e Playstation VR.

Chamou a atenção como o interesse em jogos voltados para a educação, saúde, inclusão e cidadania predominou nos artigos e pôsteres do evento, o que significa que há, entre os estudantes, pesquisadores e desenvolvedores brasileiros, um esforço na produção de jogos de qualidade que contribuam para o desenvolvimento humano de uma maneira mais divertida.”

 

Luca Pacheco

Professor do Curso de Jogos Digitais da Unicap

Doutorando no Programa de Pós-Graduação em Ciências da Religião da Unicap

.

 

 

1 comentário Adicione o seu

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.