Uma abordagem do marabaixo em perspectiva decolonial

religiosidade, cultura e cidadania

Autores

  • Nelson Mateus Machado dos Santos Universidade Federal do Amapá – UNIFAP
  • Marcos Vinicius de Freitas Reis Universidade Federal do Amapá – UNIFAP
  • David Junior de Souza Silva Universidade Federal do Amapá – UNIFAP

DOI:

https://doi.org/10.25247/hu.2021.v8n16.p194-207

Palavras-chave:

Religião e Política, Marabaixo e Cultura, Cidadania Políticas Públicas

Resumo

O Marabaixo é uma manifestação cultural afrodiaspórica praticada pelas comunidades negras do estado do Amapá. Tal expressão cultural é composta pela dança, música, percussão e orações. As rodas de marabaixo normalmente ocorrem nas festas de santos das comunidades negras amapaenses, dando destaque à cultura negra e ao catolicismo popular local. O presente artigo tem por objetivo analisar as dificuldades encontradas pelos marabaixeiros para efetivar na esfera pública direitos culturais específicos e acesso a políticas públicas. A metodologia adotada foi realização de entrevistas semiestruturadas com as principais lideranças do Marabaixo. Optamos pelas questões teóricas e metodológicas da teoria decolonial e afrodiaspórica para pensar a relação do Marabaixo com a esfera pública e Estado no contexto local amapaense.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Nelson Mateus Machado dos Santos, Universidade Federal do Amapá – UNIFAP

Graduando de Licenciatura em Sociologia pela Universidade Federal do Amapá – UNIFAP

 

Marcos Vinicius de Freitas Reis, Universidade Federal do Amapá – UNIFAP

Doutor em Sociologia, professor da Universidade Federal do Amapá – UNIFAP.

 

David Junior de Souza Silva, Universidade Federal do Amapá – UNIFAP

Doutor em Geografia, professor da Universidade Federal do Amapá – UNIFAP

 

Referências

BEZERRA, Moisés de Jesus Prazeres dos Santos et al. “Se eu não fizer o bem, o mal não faço!”: as práticas culturais/religiosas afroindígenas do quilombo do Curiaú e o currículo de ensino religioso da Escola Estadual Quilombola José Bonifácio, 2019.

CANTO, Fernando. A água benta e o diabo. Macapá: Fundação de Cultura do Estado do Amapá (Fundecap), 1998.

CALDAS, Yurgel Pantoja; MACIEL, Kerllyo Barbosa; ANDRADE, Estrela Veg Cruz. Marabaixo: identidade e cultura de resistência. identidade!, v. 23, n. 1, p. 26-43, 2018.

CUNHA, Henrique Junior. Bairros Negros: a forma urbana das Populações Negras no Brasil. Revista da ABPN • v. 11, Ed. Especial - Caderno Temático: Raça Negra e Educação 30 anos depois: e agora, do que mais precisamos falar? • abril de 2019, p.65-8.

DE FREITAS REIS, Marcos Vinicius; MACIEL, Kerllyo Barbosa; PEREIRA, Marcos Paulo Torres. LADRÕES DE MARABAIXO EM MACAPÁ: IDENTIDADE CULTURAL, PODER, HISTÓRIA, MEMÓRIA E RELIGIOSIDADE NA AMAZÔNIA AMAPAENSE. Revista Caminhos-Revista de Ciências da Religião, v. 19, n. 1, p. 11-28, 2021.

FANON, Frantz. Peles negras, máscaras brancas. Rio de Janeiro: Fator, 1983.

FERRET, Sérgio. Repensando o sincretismo, 2º ed. Editora EDUSP, 2013.

GALVÃO, Eduardo. Santos e visagem: um estudo da vida religiosa de Ita, Amazônia, 1955. Editora nacional, 1955.

HALL, Stuart. Da diáspora – identidades e mediações. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2002

HALL, Stuart. Identidades culturais na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP&A, 1997.

LIMA, Wanda Maria da Silva Ferreira. O ciclo do Marabaixo: permanências e inovações de uma festa cultural. 2011. 131 f. Dissertação (Mestrado em Educação, Arte e História) - Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo, 2011.

LUNA, Verônica Xavier. Entre o Porteau e o Volante: africanos redesenhando a Vila de São José de Macapá – 1840-1856. Teresina, Dissertação (Mestrado). Universidade Federal do Piauí, 2009.

LOBATO, Sidney da Silva. A cidade dos trabalhadores: insegurança estrutural e táticas de sobrevivência em Macapá (1944-1964). São Paulo, Tese (Doutorado). USP, 2013.

MACIEL, Alexsara de Souza. "Conversa amarra preto": a trajetoria histórica da União dos Negros do Amapá: 1986-2000." (2001).

MAUES, R. H. Um aspecto da diversidade cultural do caboclo amazônico: a religião. Estud. av. v.19, n.53, p. 259-274. 2005.

SAID, Edward. Orientalismo: o Oriente como invenção do Ocidente. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

SILVA, Tomaz Tadeu da. Identidade e diferença: impertinências. In: Educação e Sociedade. Campinas, n.º 79, ago., 2002. p. 65-66.

SPIVAK, Gayatri. Pode um subalterno falar?. Ed 1º. Editora UFMG, 2018.

VIDEIRA, Piedade Lino. Batuques, folias e ladainhas: a cultura do quilombo do Curiaú em Macapá e sua educação, 2010.

VIDEIRA, Piedade Lino. Dança do Marabaixo: cultura Afroamapaense em evidência. In: Congresso Nacional da Federação de Arte e Educadores do Brasil, 18.; Congresso Latinoamaericano e Caribenho de Arte Educação; Encontro Nacional de Arte Educação, Cultura e Cidadania, 1., 27-30 nov. 2008, Crato (CE). Anais... Crato (CE): Ed. EdURCA, 2008. Tema: Arte/Educação contemporânea: narrativas do ensinar e aprender artes.

Downloads

Publicado

2021-12-29

Como Citar

Santos, N. M. M. dos ., Reis, M. V. de F. ., & Silva, D. J. de S. . (2021). Uma abordagem do marabaixo em perspectiva decolonial: religiosidade, cultura e cidadania. HISTÓRIA UNICAP, 8(16), 194–207. https://doi.org/10.25247/hu.2021.v8n16.p194-207