Curso de Ciência Política vai realizar live sobre políticas públicas no combate à Covid-19

Curso de Ciência Política vai realizar live sobre políticas públicas no combate à Covid-19

O curso de Ciência Política da Universidade Católica de Pernambuco vai promover uma live que terá como tema As Políticas Públicas no Combate à Covid-19: entendendo as experiências internacionais. A transmissão pelo Google Meet vai acontecer no próximo dia 6 de maio, às 10h, e para participar basta acessar o link meet.google.com/org-ciym-fnm.

A mediação ficará a cargo do coordenador do curso Prof. Dr. Thales Castro. Os palestrantes serão os professores doutores Antônio Henrique Lucena, docente da graduação em Ciência Política da Unicap; Ricardo Borges, do Programa de Pós-graduação em Ciência Política da UFPE; e Arthur Leandro, professor da Pós-graduação em Políticas Públicas da UFPE e do Tribunal de Contas do Estado. Cada um vai abordar um aspecto diferente em torno da temática.

“Vou fazer algumas provações no campo das relações internacionais a partir da tese de que o ano fatídico ano de 2020 tem dois grandes propósitos.  Primeiro: ele marca, de forma tardia, o início do século 21 no campo das relações internacionais. Segundo: essa crise pandêmica é o marco de uma nova ordem mundial”, explica Thales ao detalhar como será o início do evento.

De acordo com a programação prévia, o primeiro palestrante será Antônio Henrique Lucena. Ele vai analisar os primeiros acontecimentos a respeito da pandemia, “o que foi feito na China, as dúvidas com relação ao seu surgimento, como é que se espalhou para outros países e os impactos social, econômico e político, além das estratégias de supressão e mitigação da pandemia”, detalha ele.

Já direto da Espanha, mais precisamente da cidade de Salamanca, Ricardo Borges vai focar nas ações adotadas na Europa. “Houve uma completa desorganização nesse processo. Os países se fecharam sem falar uns com os outros e isso dificultou, para alguns, a luta contra a pandemia, especialmente aqueles que não eram produtores pesados de material hospitalar, como é o caso da Espanha e Itália”, avalia Ricardo que vai tratar ainda das perspectivas de como a Europa se prepara para voltar à normalidade num ambiente de crise econômica, “que vai ser pesada na maioria deles, alguns com PIBs negativos muito fortes”. O pesquisador vai falar também sobre as consequências políticas e sociais da pandemia, sobretudo diante dos grupos nacionalistas.

Já as estratégias brasileiras serão o ponto de partida da análise do professor Artur Leandro. “Falaremos da função de controle de políticas públicas como elemento de garantia da qualidade do gasto. De como a excepcionalidade do estado de calamidade, declarado em função da pandemia, aumenta consideravelmente o risco de gastos irregulares, desvio de recursos, e corrupção”.

O professor também vai discutir a relação entre a pandemia e as eleições municipais, previstas para este ano, e quais possíveis impactos políticos. “Sobre o modo com que a crise sanitária pode favorecer (ou prejudicar) as chances de sucesso eleitoral dos grupos em disputa em função de sua posição atual, quais sejam o governo, ou a oposição. Falaremos também das ações que os órgãos de controle no país estão realizando neste momento, e que tipo de repercussão essas ações podem ter solução dos problemas trazidos pelo covid-19. Por fim, tentaremos olhar o panorama internacional da crise sanitária sobre a lógica da qualidade das instituições, a capacidade de implementação de políticas e sua ancoragem em evidências, e a função do planejamento e da capacidade operacional dos governos”.